Equilibrium (2002) (US)

Qual seria o segredo pra se viver em paz? Política, religião, economia são geralmente acusadas de contribuírem pra ocorrência de um dos maiores males da humanidade: a guerra.

Equilibrium tentou atacar a raiz do problema sob um prisma extremista. A causa pra instigar a guerra, o verdadeiro vilão, seria algo com que os seres humanos têm uma grande propensão em lidar: o sentimento.

A capacidade dum ser humano sentir e repassar tal sentimento a outrem através da emoção é que era a culpada por instigar as guerras. Então, pra evitar o surgimento delas, uma contramedida eficaz seria controlar esse poder de emocionar.

Existia um regime futurista que impunha tal controle de duas maneiras, uma substância chamada Prozium e um grupo de policiamento tratado por Grammaton Cleric. O filme não detalhou o Prozium, provavelmente seria algum tipo de analgésico. Já o Grammaton Cleric era composto por policiais com uma incrível habilidade de combate.

Estranhamente, um desses policiais (o protagonista) era dotado com um fantástico faro pra emoção alheia. Ele dizia que "sentia" antes mesmo que a própria pessoa soubesse que estava tendo uma emoção (se uma determinada pessoa estava "sentindo" algo, ela violava o controle de emoção do regime).

O filme enfocou essa contradição do protagonista bem como a luta do regime contra os rebeldes. O regime não se contentava em executar os opositores (rebeldes) em nome na paz. Ele também destruía todo e qualquer objeto artístico que encontrasse pela frente (a Arte é notoriamente uma instigadora de emoções). Nesse último quesito, pelo menos, uma influência certa do filme Fahrenheit 451 (1966), onde os livros eram psicoticamente caçados e incinerados pelo governo.

Ficha
  • Assustador
    • Sim
    • Nao
  • Açao
    • Alta
    • Baixa
    • Monotono
  • Baseado em
    • Historia
    • Cena
  • Historia
    • Pioneira
    • Sofisticada
    • Saturada
    • Fraca
  • Elenco
    • Muito bom
    • Medio
    • Poderia ser melhor
  • Recomendaçao
    • Alta
    • Media
    • Baixa